segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

FAÇA O QUE EU MANDO...

Os americanos acusam a Venezuela e outros países cujos governos não lhes agradam de atentar contra a liberdade de expressão, mas fecham os olhos para o que fazem seus aliados – Egito, Arábia Saudita e Paquistão, entre outros. Agora mesmo, em meio à rebelião que assola o país, o Egito proibiu o funcionamento da rede Al-Jazeera, do Qatar, que há tempos vem se notabilizando por realizar uma cobertura jornalística corajosa e independente. Nenhuma palavra de recriminação dos Estados Unidos em relação a essa proibição do governo egípcio. Pior, nas guerras do Iraque e do Afeganistão, há evidências de que as forças americanas atacaram os escritórios da rede. Reproduzo, abaixo uma nota e um vídeo tirados do blog do Luís Nassif:

“Fora ter sido a única emissora de televisão a ser alvo de ataques pelo exército estadunidense em duas ocasiões: em Cabul (Afeganistão) em 2001 e em Bagdá (Iraque) em 2003. Quem disse isso foi Rageh Omaar, repórter da BBC (2000-2006) numa entrevista para o documentário The War You Don't See, de John Pilger. Ele afirma (por volta dos 20 minutos) que o bombardeio do escritório da Al Jazeera em Cabul teve ‘sem dúvida nenhuma e categoricamente’ o objetivo de calar e possivelmente matar os jornalistas da emissora, pois todas as organizações de imprensa dão as coordenadas exatas de seus escritórios para os comandos militares. O curioso, neste caso, é que os jornalistas receberam um aviso de que seriam bombardeados. Em outras palavras, o ataque foi deliberado.”



Nenhum comentário:

Postar um comentário