domingo, 10 de outubro de 2010

CONTRIBUIÇÃO AO DEBATE ELEITORAL


Francis Bacon, estudo sobre Inocêncio X, de Velazquez
"De fato, a religião permite que as pessoas imaginem que suas preocupações são morais quando, na realidade, são altamente imorais - isto é, quando insistir nessas preocupações inflige um sofrimento atroz e desnecessário em seres humanos inocentes. Isso explica por que cristãos [...] gastam mais energia 'moral' fazendo oposição ao aborto do que lutando contra o genocídio. Explica por que estão mais preocupados com os embriões humanos do que com a possibilidade de salvar vidas, oferecida pela pesquisa com células-tronco. E explica por que são incapazes de pregar contra o uso da camisinha na África subsaariana, enquanto milhões de pessoas morrem de aids nessa região a cada ano."

[...]

"Enquanto o aborto continua sendo uma questão ridiculamente polêmica nos Estados Unidos, a posição "moral" da Igreja nesse assunto está hoje plenamente - e horrivelmente - encarnada em El Salvador. Nesse país, o aborto é hoje ilegal sob quaisquer circunstâncias. Não há exceções para o estupro ou o incesto. No momento em que uma mulher chega a um hospital com o útero perfurado, indicando que fez um aborto caseiro em algum beco, ela é algemada à cama do hospital e seu corpo é tratado como uma cena de crime. Médicos forenses chegam para examinar seu útero. Há mulheres hoje cumprindo penas de trinta anos de prisão pelo crime de interromper a gravidez. Imagine um cenário em um país que estigmatiza o uso de anticoncepcionais e os vê como um pecado contra Deus. E, contudo, é exatamente esse tipo de política que adotaríamos se concordássemos com madre Teresa em sua avaliação do sofrimento humano. De fato, o arcebispo de San Salvador fez uma campanha ativa nesse sentido. Ele foi auxiliado em seus esforços pelo papa João Paulo II, que declarou, em uma visita à Cidade do México em 1999, que "a Igreja precisa proclamar o evangelho da vida, e falar com força profética contra a cultura da morte. Possa o continente da esperança ser também o continente da vida.
É claro que a posição da Igreja a respeito do aborto não leva em conta os detalhes da biologia, assim como não leva em conta a realidade do sofrimento humano."
Sam Harris, Carta a uma Nação Cristã 
Cá com meus botões, tenho saudades dos tempos antediluvianos em que a esquerda era anticlerical e adotava a consigna Écrasez l'infâme (esmagai a infame), de Voltaire...



Em relação à campanha eleitoral, está certo que, há tempos, ela é pautada pelas "leis" do marketing, mas é lamentável o nível de despolitização do debate a que chegamos. Isso só beneficia o "qualunquismo" - descrença na política típica das classes médias - e reforça o conservadorismo de direita. Por isso mesmo, os aprendizes de feiticeiro - ou de Goebbels - estão fazendo escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário