terça-feira, 9 de novembro de 2010

UM DIA DE BRUMA, FOGO E BRISA


Napoleão Bonaparte no 18 Brumário
 9 de novembro de 1799: O Golpe do 18 Brumário – O general Napoleão Bonaparte lidera um golpe de Estado em 18 brumário (equivalente a 9 de novembro no calendário da Revolução Francesa) e se torna um dos cônsules da França. Ele teve o apoio do Exército e da burguesia, que queria “salvar a República” dos jacobinos, dos monarquistas e da ameaça austríaca. A instabilidade do Diretório – governo instaurado depois da queda dos jacobinos em 1794 – tinha levado Napoleão, herói nacional depois das vitórias militares francesas no Egito, a organizar o golpe. As tropas cercam o Palácio das Tulherias, onde se reuniam o Conselho Quinhentos (câmara baixa) e o Conselho dos Anciãos (câmara alta), e os pressionam a substituir o governo do Diretório pelo consulado triplo (Napoleão, Sieyès e Ducos). Napoleão logo acumula poderes e torna-se primeiro cônsul. Em 1804, proclama-se Imperador da França. Napoleão consolida as conquistas da revolução ao mesmo tempo em que esvazia seu conteúdo radical e jacobino.



9 de novembro de 1938: Kristallnacht (A noite dos cristais) – Atos de violência de bandos nazistas, instigados pelo governo de Adolf Hitler, foram praticados contra judeus em diversos locais da Alemanha e da Áustria naquela noite. Eram progroms, assassinatos e destruição de propriedades judaicas e sinagogas. O pretexto para a violência foi o assassinato do diplomata alemão Ernst von Rath em Paris, por um agitador judeu polonês. A violência foi organizada por Henrich Goering (chefe da Gestapo) e Reinhard Heydrich, um dos líderes das SS, e provocou a morte de 91 judeus e a destruuição de 1.600 sinagogas e 3.000 estabelecimentos judaicos. Cerca de 30 mil outros judeus (um quarto da população judaica masculina alemã) foram enviados a campos de concentração. A perseguição do regime aos judeus começara em 1933, com a convocação para que os cidadãos alemães boicotassem os estabelecimentos judeus. Em 1935, vieram as leis de Nuremberg, que proibiam o casamento de judeus e não-judeus. A "Solução Final" (o extermínio) veio em 1942, com a conferência de Wansee. Até 1945, seis milhões de judeus seriam mortos pelo III Reich em campos de extermínio.
http://www.youtube.com/watch?v=JDUhp-ZIwJQ&feature=player_embedded

9 de novembro de 1989: A Queda do Muro de Berlim - Construído em 1961 para evitar a fuga de cidadãos de Berlim oriental (comunista) para o Ocidente, o Muro de Berlim foi o principal símbolo da Guerra Fria. Tinha 66 quilômetros e 300 torres de observação. Durante 28 anos, 80 pessoas foram mortas e 112 ficaram feridas ao tentarem ultrapassá-lo. Por muitos tempo, a Alemanha oriental parecia ser o Estado inexpugnável do bloco soviético. Mas em 1989, uma onda de revoluções varreu os regimes stalinistas da Europa do Leste, favorecida pela decisão do dirigente soviético Mikhail Gorbatchóv de não intervir, como fizeram seus antecessores em Budapeste (1956) e Praga (1968). Em 9 de novembro de 1989, depois de manifestações em várias cidades da Alemanha oriental e da abertura da fronteira húngara, as autoridades alemãs orientais anunciaram que os cidadãos de Berlim oriental poderiam visitar Berlim ocidental. Multidões atravessaram o muro, juntando-se aos seus compatriotas ocidentais. A queda do muro levaria à derrubada do regime e à reunificação da Alemanha. 
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário