segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

A UTOPIA DE MANOEL BOMFIM


“Utopia… Utopia… repetirá a sensatez rasteira. Utopia, sim; sejamos utopistas, bem utopistas; contanto que não esterilizemos o nosso ideal, esperando a sua realização de qualquer força imanente à própria utopia; sejamos utopistas, contanto que trabalhemos"

Manoel Bomfim (1868-1932), médico, sociólogo, psicólogo e historiador, crítico do positivismo e do racismo "científico"na época em que este era "moda" por aqui, polemizou com Silvio Romero, que defendia o "branqueamento" da população brasileira. Autor de América Latina - Os males de origem e O Brasil na História, entre outros, Bomfim foi um pensador rebelde e profícuo, completamente esquecido pela historiografia brasileira. Um dos poucos a lhe reconhecer o valor foi o antropólogo Darcy Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário