sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

POIS É, PRA QUÊ?


Neste início de dezembro comemoram-se os 20 anos Revolução de Veludo, o movimento popular que derrubou pacificamente o comunismo na antiga Tchecoslováquia. A beleza e a generosidade daquela rebelião ficam ainda mais patentes quando se a compara com as sangrentas jornadas que acabaram com a ditadura de Nicolae Ceaucescu na Romênia, no Natal de 1989. Nos "saiba mais" publicados na mídia praticamente não se fala de dois personagens determinantes na Revolução de Veludo: o ex-presidente Václav Havel e o ex-líder comunista reformista Alexander Dubcek.
A trajetória deste último é digna de uma tragédia grega: como líder do Partido Comunista da Tchecolslováquia em 1968, Dubcek desencadeou um processo liberalizante que ficaria conhecido como Primavera de Praga, ou ainda, "socialismo de face humana". A iniciativa provocou a ira e o temor de Moscou, que esmagou a iniciativa com tanques do Pacto de Varsóvia em agosto daquele ano. Preso pelos soviéticos, Dubcek foi levado a Moscou e torturado, sendo libertado apenas pela valente intervenção do general Ludvik Svoboda, presidente tchecoslovaco e heroi de guerra. Ficou no ostracismo interno até retornar à cena em 1989. Morreu num acidente automobilístico em 1992. O dramaturgo Václav Havel, por sua vez, tornou-se um dissidente conhecido como um dos signatários da "Carta 77", documento que denunciava a violação dos direitos humanos da Tchecoslováquia em 1977, em pleno inverno da "normalização" soviética do país. Havel foi o principal líder da Revolução de Veludo, à qual se uniu Dubcek. Eleito presidente da República, o dramaturgo fracassou na tentativa de manter o país unido - a Tchecoslováquia deixou de existir em 1993, por influência de líderes demagogos dos dois lados (tchecos e eslovacos) - entre eles o atual presidente tcheco, Vláclav Klaus. Mas quem se importa com tudo isso hoje em dia? O novo CD da Lady Gaga é o que agita...
http://www.youtube.com/watch?v=sAhFBHeG-os (Pois é, pra quê?, Sidney Miller)

Um comentário: