quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O HORROR, O HORROR


"Profeta, ou o que quer que sejas!

Ave ou demônio que negrejas!

Profeta sempre, escuta: Ou venhas tu do inferno

Onde reside o mal eterno.

Ou simplesmente náufrago escapado

Venhas do temporal que te há lançado

Nesta casa onde o Horror, o Horror profundo

Tem os teus lares triunfais,

Dize-me: "existe acaso um bálsamo no mundo?"

E o corvo disse: "Nunca mais"

(Edgar Allan Poe, O Corvo, tradução de Machado de Assis)

Nenhum comentário:

Postar um comentário