terça-feira, 20 de julho de 2010

JOVENS: OS MADUROS E OS TRESLOUCADOS

Pouca idade não é, necessariamente, critério de avaliação política quando se trata de exercício do poder. Três presidentes americanos assumiram a Casa Branca antes dos 50 anos: John Kennedy, aos 43; Bill Clinton aos 46 e Barack Obama aos 47. Todos enfrentaram e superaram desafios gigantescos: Kennedy evitou uma guerra nuclear mundial durante a crises dos mísseis em 1962 e encaminhou a lei de direitos civis; Clinton enfrentou uma ameaça de impeachment da direita raivosa e conseguiu se safar e Obama já conseguiu, antes do meio do mandato, aprovar no Congresso as reformas da previdência e a financeira. Por isso, é pífio o argumento de que as sandices do candidato a vice na chapa de José Serra, deputado Índio da Costa (DEM-RJ), podem ser atribuídas à sua pouca idade (39 anos). Mas tipos como este também servem para lembrar que a juventude, por si só, jamais deve ser tomada como critério isolado de virtù política, como entendia Maquiavel. A arrogância juvenil do desqualificado candidato a vice faz  lembrar o sábio Tancredo Neves, candidato à presidência da República em 1984, respondendo ao tresloucado Paulo Maluf, então com 53 anos, que desdenhara da idade provecta do adversário (75 anos): "Nero, aos 30 anos , incendiou Roma; Adenauer, aos 85, reconstruiu a Alemanha". Ou então a tirada atribuída ao indefectível Jânio Quadros, que teria dito a Fernando Collor, candidato a presidente aos 40 anos em 1990, que ele era muito jovem para o cargo. "Mas o senhor se elegeu aos 43 anos", retrucou Collor. E Jânio, com aquele ar professoral: "Pois é. E veja o senhor a merda que deu!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário