terça-feira, 3 de agosto de 2010

UM QUÍMICO E SEUS ELEMENTOS CONTRA O FASCISMO

"Para que a roda gire, para que a vida possa ser vivida, as impurezas são necessárias, assim como são necessárias as impurezas do solo para que ele possa ser fértil. É necessário dissenso, diversidade [...] o fascismo não os quer, os proíbe, e é por isso que você não é um fascista; o fascismo quer que todos sejam o mesmo, e você não é"

"Não é verdade que a desordem seja necessária para descrever a desordem: não é verdade que o caos na página escrita é o melhor símbolo do caos extremo a que somos submetidos: considero isto um erro característico do nosso século inseguro"

Primo Levi (1919-1987), escritor italiano, químico de profissão, prisioneiro dos nazistas em Auschwitz-Birkenau, autor de É Isto Um Homem? A Trégua, Afogados e Sobreviventes - livros em que narra, de maneira crua e direta, o cotidiano do campo de extermínio - e A Tabela Periódica. Suicidou-se em 1987.

Nenhum comentário:

Postar um comentário