segunda-feira, 18 de março de 2013

DACHAU: O INÍCIO DA BARBÁRIE

Dachau hoje: memorial

Há 70 anos, em 18 de março de 1933, os nazistas construíram nas dependências de uma antiga fábrica de munição em Dachau, nas proximidades e Munique, o primeiro campo de concentração regular para prisioneiros políticos. Para lá, foram enviados militantes social-democratas, comunistas e sindicalistas. Tempos depois, foram encarcerados ciganos, Testemunhas de Jeová e homossexuais. Durante os primeiros anos poucos judeus foram enviados para Dachau; mas o número de judeus no campo cresceu exponencialmente depois da Kristallnacht (noite dos cristais) em 1938.      

Em 1942, foi construída a área do crematório ao lado do campo principal, bem como uma câmara de gás que não chegou a ser utilizada porque Dachau não era um campo de extermínio, como Auschwitz-Birkenau, Treblinka, Sobibor e Chelmno. Dachau também era um centro de treinamento para os guardas SS de outros campos; sua organização e rotina tornaram-se modelo para os demais. Dachau era dividido em duas seções – a área do campo e a área do crematório. Um dos 32 quartéis era reservado para experiências médicas com seres humanos.

Em Dachau, como em outros campos nazistas, os médicos realizavam experiências nos prisioneiros, como testes de alta altitude usando câmaras de descompressão; experimentos com malária e tuberculose; hipotermia, e testes experimentais para novos remédios. Os prisioneiros também eram forçados a serem cobaias em testes de métodos de dessalinização da água e de estancamento de perda de sangue excessivo. Centenas de prisioneiros morreram ou ficaram incapacitados como resultado destas “experiências”.

Abril de 1945: os americanos chegam a Dachau
Em abril de 1945 havia mais de 67 mil prisioneiros em Dachau. Destes, 43 mil eram prisioneiros políticos, 22 mil judeus e o restante era dividido entre outras categorias. Em 29 de abril de 1945, ao libertarem Dachau, as forças norte-americanas encontraram mais de 30 vagões lotados com corpos em estado de decomposição avançado que haviam sido levados para Dachau. Calcula-se que, de 1933 a 1945, cerca de 200 mil pessoas passaram por Dachau e, destas, mais de 30 mil morreram.

Visitar Dachau ou qualquer outro campo nazista é uma experiência única de testemunhar o lado mais sombrio e tenebroso do ser humano.
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário