quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

AS 1001 NOITES E O INFINITO



"Nesse título ("As mil e uma noites") há uma beleza muito particular, talvez pelo fato de que a palavra "mil" seja para nós quase sinônimo de "infinito". Falar em mil noites é falar em infinitas noites - muitas e inumeráveis noites. Dizer "mil e uma noites" é acrescentar uma além do infinito. Há em inglês, uma expressão curiosa. Muitas vezes, não se diz simplesmente for ever ('para sempre') mas for ever and a day ("para sempre e mais um dia"). Ou seja, acrescenta-se um dia à palavra 'sempre'. Isso lembra a dedicatória de que Heine fez a uma mulher: 'Eu te amarei eternamente e ainda depois'. A idéia de infinito é consubstancial com As mil e uma noites."
Jorge Luis Borges, Sete Noites

Nenhum comentário:

Postar um comentário