quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O OVO DA SERPENTE

O comportamento de turba, como o dos estudantes que hostilizaram uma colega na universidade a pretexto da roupa inapropriada, leva à destruição da democracia



"A característica do momento é que a alma vulgar, sabendo que é vulgar, tem a coragem de afirmar o direito à vulgaridade e o impõe em toda parte. Como se diz nos Estados Unidos: ser diferente é indecente. A massa faz sucumbir tudo o que é diferente, egrégio, individual, qualificado e especial. Quem não for como todo mundo, quem não pensar como todo mundo, correrá o risco de ser eliminado”
José Ortega y Gasset, A Rebelião das Massas (1930)




  • “Não há nada que o homem mais tema do que o contato com o desconhecido. [...] Tal aversão ao contato não nos deixa nem quando caminhamos em meio a outras pessoas. A maneira como nos movemos na rua, em meio aos muitos transeuntes, ou em restaurantes, trens e ônibus, é ditada por esse medo. [...] Somente na massa é possível ao homem libertar-se do temor do contato [...] Tão logo nos entregamos à massa não tememos o seu contato. Na massa ideal, todos são iguais. Nenhuma diversidade conta, nem mesmo a dos sexos. Quem quer que nos comprima é igual a nós. Sentimo-lo como sentimos a nós mesmos. Subitamente, tudo se passa então como que no interior de um único corpo. Talvez essa seja uma das razões pelas quais a massa busca concentrar-se de maneira tão densa: ela deseja libertar-se tão completamente quanto possível do temor individual do contato. Quanto mais energicamente os homens se apertarem uns contra os outros, tanto mais seguros eles se sentirão de não se temerem mutuamente. Essa inversão do temor do contato é característica da massa”

    Elias Canetti, Massa e Poder (1960)

Nenhum comentário:

Postar um comentário