sexta-feira, 4 de junho de 2010

UM POUCO DE CAOS, QUE NINGUÉM É DE FERRO

"Eu redijo um manifesto e não quero nada, eu digo portanto certas coisas e sou por princípio contra manifestos (...). Eu redijo este manifesto para mostrar que é possível fazer as ações opostas simultaneamente, numa única fresca respiração; sou contra a ação pela contínua contradição, pela afirmação também, eu não sou nem para nem contra e não explico por que odeio o bom-senso” (Tristan Tzara)





"Toda a obra de pintura ou plástica é inútil; que ela seja um monstro
que faça medo aos espíritos servis, e não adocicada para ornar os
refeitórios dos animais com roupas humanas, ilustrações desta triste
fábula da humanidade"
(Idem)
Dada Polka: Girate like a giroscope, collide like a calleidoscope, frieze: do something, anything, something... please:
http://www.youtube.com/watch?v=yFkXg2yFFSM

Nenhum comentário:

Postar um comentário