segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

SAUDADES DO FASCISMO


Numa cerimônia em memória às vítimas do Holocausto, ocorrida no domingo em Milão, o fanfarrão ex-primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, defendeu o legado do ditador fascista Benito Mussolini. “As leis raciais foram a pior falha de Mussolini, que, em outros aspectos, se saiu bem... Mussolini fez muitas coisas boas”, afirmou o imperador da mídia italiana, que cogita disputar novamente as eleições, em fevereiro.

A declaração gerou reação do Partido Democrata (ex-comunista), de centro-esquerda, que lidera as pesquisas eleitorais. “É simplesmente asqueroso que justamente no dia da memória, Berlusconi reabilite a ação do ditador que colocou a Itália na II Guerra Mundial”, retrucou Débora Sarracchiani, deputada do Partido Democrata. A televisão italiana, boa parte dela controlada por Berlusconi, deu pouco destaque à declaração.

Berlusconi é dono da corporação Mediaset, que controla as três maiores emissoras privadas de televisão da Itália. Ele também é dono de bancos e presidente do clube de futebol Milan. Segundo a revista Forbes, o admirador de Mussolini é a segunda pessoa mais rica da Itália e o 74º homem mais rico da Europa, com uma fortuna estimada em US$ 9 bilhões. Eleito primeiro-ministro da Itália por três vezes, Berlusconi é acusado de desvio de recursos públicos, evasão de divisas, associação com a Máfia e de elaborar leis para escalar da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário